Saber mais sobre
VAMOS TRATAR DO SEU FILHO!

Cinesioterapia respiratória
Ginástica respiratória em crianças, fisioterapia respiratória pediátrica

A Bronquiolite.
O que é, como aparece e porquê?

Normalmente, a bronquiolite viral demora cerca de 7 a 10 dias a passar. Todavia, em alguns casos, a tosse e a pieira ligeira poderão durar semanas, mesmo depois do vírus já ter desaparecido. A acumulação de secreção no pulmão é a razão número um para que a criança desenvolva uma crise.

Sinais de que a criança necessita de consultar um médico pediatra:

– “Covinhas”no peito, por debaixo da caixa torácica, acima da clavícula, entre as costelas ou no pescoço;
– Alargamento das narinas quando inspira;
– Aumento da irritabilidade, rabugice e cansaço;
– Comer ou beber em menor quantidade;
– Dificuldade em dormir;
– Febre e tosse persistente.

O diagnóstico é feito pelo médico mediante auscultação dos pulmões com o cruzamento de dados fornecidos pela mãe e pai. O médico pediatra é o especialista que deve avaliar a criança com bronquiolite e indicar qual o melhor tratamento para tratar a infecção.

Transmissão

Os vírus que causam a bronquiolite são transmitidos através de minúsculas gotículas provenientes do nariz e da boca quando a pessoa infectada, tosse ou espirra. Podem igualmente ser transmitidos quando uma pessoa infectada toca em algum objecto (um brinquedo, por exemplo) que venha a ser tocado mais tarde pela criança.

A partilha de brinquedos e as brincadeiras junto de outras crianças aumentam a possibilidade de contágio, daí as chamadas “crianças de infantário” terem mais probabilidades de contrair o vírus ou ficar infectadas.

Como evitar a transmissão?
– Uma boa lavagem das mãos é a forma mais eficaz de reduzir o contágio;
– Tentar afastar-se de pessoas infectadas, sobretudo se a criança tiver menos de três meses de idade;
– Muitas vezes, as crianças jovens introduzem brinquedos na boca. Se os brinquedos forem partilhados por outras crianças, lave-os frequentemente;
– Ensine as crianças a evitar a transmissão dos micróbios aprendendo a espirrar ou a tossir para o interior da manga ou do cotovelo. Se houver lenços de papel, as crianças poderão usá-los, colocá-los no lixo e, depois, lavar as mãos;
– Se a criança frequenta a creche ou a escola, explique à assistente quais os sinais da doença que a criança apresenta;
– Caso verifique alguns dos sinais a cima citados e se puder, mantenha a criança em casa até a situação melhorar.

Dicas para melhorar a condição do seu filho a partir de casa:

– Colocar a criança numa posição vertical ou parcialmente sentada, a fim de facilitar a respiração;
– Incentivar a criança a beber, sobretudo líquidos transparentes como a água ou o sumo de maçã misturado com água. Se a criança não quiser beber, tente dar-lhe pequenas quantidades de líquidos com mais frequência do que é habitual;
– Os bebés deverão continuar a ser amamentados ou a tomar o leite formulado como habitualmente;
– Se o nariz do bebé estiver muito congestionado, as gotas de soro fisiológico poderão ajudar à sua desobstrução por algum tempo, tornando a refeição do bebé mais fácil;
– Se o bebé não estiver a alimentar-se bem, tente dar-lhe doses mais pequenas e com mais regularidade para que ele possa ingerir alimentos e líquidos em quantidade suficiente;
– Não fumar dentro de casa ou próximo da criança e não deixar também que outras pessoas o façam;
– Se a criança é alérgica a animais de estimação ou a substâncias em suspensão no ar, evite ambos.

Sinais iniciais de uma disfunção respiratória e como agir:

Cinesioterapia