Saber ainda mais sobre
MANTER A FORMA DURANTE A GRAVIDEZ

Pilates clínico pré-parto adaptado à gravidez

Porquê realizar pilates clínico durante a gravidez?

Alguns aspectos que geram desconforto durante a gravidez poderão ser controladas através do pilates clínico:

1. Aumento da hormona relaxina que leva a que os tecidos corporais, ligamentos e cartilagem fiquem mais alongados e flexíveis de modo a tornar o parto mais fácil e tolerável. No entanto, até ao momento do parto esta alteração tem como consequência o excesso de pequenos movimentos dentro das articulações. A púbis, que está sujeita a maior pressão, vai sendo alongada (como se abrisse) e pode levar a dor localizada, dor na virilha com irradiação para a coxa e alterações na marcha e equilíbrio.

2. As alterações posturais que ocorrem com o crescimento do útero promovem um aumento da carga nas articulações da anca e coluna lombar. A articulação sacro-ilíaca (no final da coluna) pode sofrer maior sobrecarga levando a instabilidade da pélvis.

3. Na gravidez, o centro de gravidade desloca-se para a frente e para cima à medida que o bebé vai crescendo e o volume mamário aumenta. O aumento de lordose lombar pode causar fadiga e dor lombar. Para compensar estas alterações, muitas mulheres assumem uma má postura.

4. Durante a gestação os músculos abdominais distendem-se para acomodar o crescimento do bebé, este fenómeno enfraquece os músculos em questão gerando dor nas costas ou na região pélvica. Os músculos do soalho pélvico sofrem também grandes forças de pressão descendente (peso da barriga) e tendem ficar alongados e a deslocar-se da sua posição normal. Como consequência, será difícil contrair estes músculos e segurar a contracção por algum tempo. Se os músculos pélvicos ficam fracos demais, algumas mulheres têm problemas de perda de urina ao tossir, espirrar ou rir.

CUIDADO COM OS EXERCÍCIOS QUE PODEM FAVORECER O APARECIMENTO DE DIASTASE

Pilates Clínico Gravidez

Indo ao encontro das consequências acima mencionadas, seguem-se os benefícios de ser integrada e devidamente acompanhada numa turma de pilates clínico durante a gravidez:

  • Reduz o risco de diabetes gestacional;
  • Reduz a obstipação (“prisão de ventre”);
  • Aumentando a circulação periférica melhora o sistema cardiovascular evitando edemas dos membros inferiores;
  • Reduz o risco de sofrer de incontinência urinária pós-parto;
  • Auxilia no controlo de peso;
  • Melhora a forma física e MAIS importante, permite um retorno mais rápido á sua forma física após o parto;
  • Aumenta a auto-estima, desenvolvendo uma imagem corporal positiva e de controlo do próprio corpo;
  • Aumenta a consciência corporal;
  • Contribui para o relaxamento, redução de stress e sensação de bem-estar;
  • Aumenta o tónus e força muscular, fortalecendo os músculos específicos que sustentam gravidez e ajudam no parto;
  • Diminui os problemas físicos como a comum dor de costas (menores queixas durante a gravidez);
  • Mantém o comprimento muscular (flexibilidade);
  • Melhora a consciência e controlo da respiração;
  • Aumenta a endurance e o metabolismo (resistência e energia), diminui a fadiga.