PÓS-PARTO

Pilates clínico adaptado ao período pós-parto

O maior objectivo do pilates clínico no período pós-parto é:
– Reverter as alterações verificadas na gravidez;
– Atenuar qualquer consequência advinda do parto;
– Recuperar a forma física normal da mãe e dar-lhe estratégias para cuidar do seu filho sem se prejudicar;
– Proporcionar bem-estar de modo a fazer face às dificuldades sentidas na fase pós-natal.

Não há recuperação imediata de um abdómen liso, nem curas milagrosas. Algumas mães referem que a razão pela qual recuperam a forma foi “terem usado uma faixa”, “uma cinta”, “terem tomado uns chás e suplementos” ou “não terem comido”… Mas a verdade é que os genes prevalecem e embora todos estes elementos possam influenciar um pouco a recuperação, cada mãe tem a sua predisposição genética traçada no que diz respeito à recuperação pós-parto.

Sabemos porém que o exercício (e a amamentação) é claramente uma variável que pode influenciar a predisposição genética de uma mulher que foi mãe recentemente e pretende recuperar a sua forma física e mental.

Infelizmente nem todos os benefícios ganhos com o exercício na gravidez se mantêm após o parto. No entanto, a mãe começa a sua recuperação num patamar mais elevado do que se não tivesse realizado qualquer tipo de actividade durante a gravidez.

De início, deve fortalecer-se os músculos localmente com minuciosa supervisão para evitar complicações como a incontinência urinária ou aumento da diástase do recto abdominal. Após ter ganho a estabilidade local do cilindro central todo o corpo deverá ser gradualmente fortalecido. Concluindo, é importante começar um programa progressivo de fortalecimento desde a zona abdominal até ao geral de forma cuidadosa.

A autorização médica para o retorno à prática de exercício físico é dada normalmente na consulta das 6/8 semanas após o parto. O médico deverá informar a mãe acerca de outras considerações do pós-natal que tenham de ser monitorizadas antes do retorno à actividade física. Assim, é obrigatório que tenha uma declaração do seu médico ginecologista/obstetra que comprove a sua habilitação para frequentar uma aula de pilates clínico e contenha eventuais limitações a ter em conta.

Após o parto, deverá haver um período de transição antes de regressar aos níveis de treino mantidos antes e durante a gravidez. As alterações durante a gravidez vão-se instalando ao longo de 9 meses e estas não se revertem do dia para a noite. É necessário ter sempre consciência de que existem eventuais limitações para começar a prática de exercício precocemente.

As dúvidas sobre quando começar novamente o exercício estando a amamentar ou não, tendo sido parto normal ou cesariana, usar ou não usar cinta começam a surgir e a Fisioterapia Mães&Filhos® terá todo o gosto de avaliar e acompanhar as mães nesta fase em que estão claramente vulneráveis.

Assim, a Fisioterapia Mães&Filhos® dá ênfase à realização de uma consulta de avaliação inicial antes de integrar uma mãe recente numa turma de pilates clínico. Na sua reavaliação após o parto, a fisioterapeuta irá ter em consideração:
– Função urinária e sexual (intimamente interligadas);
– Diástase do recto abdominal;
– Estabilidade pélvica (dor, desconforto, estado das articulações);
– Força muscular;
– O tipo de parto (vaginal, cesariana);
– Eventuais complicações durante ou após o parto;
– O ajuste hormonal (é conhecido o fenómeno do “babyblues” e a Fisioterapia Mães&Filhos® pode reencaminhá-la para os profissionais mais indicados nesta situação);
– Amamentação (exercício após a amamentação pode causar tensão ou dor);
– Fadiga e exaustão (está em condições de praticar exercício, já lida bem com a privação de sono?);
– Se está a executar uma nutrição e uma hidratação adequadas. A Fisioterapia Mães&Filhos® tem parcerias com profissionais da área de nutrição que saberão tratar de si;
– Cicatriz abdominal ou do períneo (o processo de cicatrização está terminado? Existem complicações a nível da cicatriz?);
– Sangramento vaginal;
– Anemia;
– Condições inflamatórias incluindo mastite (inflamação dos ductos mamários).

Processo de integração nas aulas de pilates clínico pós-parto:

1. Inicialmente será sujeita a uma avaliação individual, que permitirá a definição de objectivos a alcançar durante as sessões. Aqui é feita a triagem das indicações e contra-indicações da realização de exercício físico no pós-parto acima mencionadas.

2. As duas sessões iniciais serão individuais para que possa aprender os princípios do pilates, caso não o tenha feito durante a gravidez, e dar especial atenção a tratamento de questões específicas (cicatrização, função urinária).

3. As restantes sessões serão em pequenos grupos de mães onde a atenção da Fisioterapia Mães&Filhos® é redobrada e personalizada para cada uma das mães.

4. No mínimo deverá permanecer no pilates clínico um mês para poder verificar resultados.

5. A frequência indicada será de 2 a 3 vezes por semana. As aulas têm uma duração de 45 minutos.

Onde

Em sua casa
Opção 1. Junte 2 a 4 mães amigas ou familiares e as aulas de pilates são realizadas em casa
Opção 2. Poderá também usufruir de um curso individual e intensivo.

Em clínica
Opção 3. Será inserida num grupo de entre 5 a 6 mães dentro dos seguintes horários

Material

Em sua casa:
A tem disponível o material necessário para realizar os exercícios, embora aconselhe a compra de algum material para que possam fazer

Cada mãe deve ter:
– Colchão
– Bola grande adaptada à sua altura
– Duas toalhas (cabeça e rosto)
– Roupa cómoda

Em clínica
Será suficiente trazer consigo o seguinte material:
– Duas toalhas (cabeça e rosto)
– Roupa cómoda

Quer saber ainda mais?